sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Escapado, Meyer conquista vitória

Cameron Meyer (Garmin-Cervélo) venceu a 4ª etapa do Tour Down Under, após percorrer 124 km entre Norwood-Strathalbyn. O australiano completou a prova em 2h57min55s após fazer parte da fuga do dia, e de quebra assumiu a liderança da competição.

Além de Meyer, Matthew Wilson (Garmin-Cervélo), Laurens ten Dam (Rabobank), Rob Rujigh e Thomas De Gendt (Vacansoleil) protagonizaram a fuga, que cruzou a meta com 24 segundos de vantagem para o grupo principal.

No sprint final, Cameron Meyer, que já sagrou-se campeão do mundo de pista em várias oportunidades, levou a melhor sobre De Gendt e Ten Dam, segundo e terceiro respectivamente.

Classificação 4ª etapa

1 Cameron Meyer (Aus) Team Garmin-Cervelo 2:57:55
2 Thomas De Gendt (Bel) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team
3 Laurens ten Dam (Ned) Rabobank Cycling Team 0:00:03
4 Matthew Wilson (Aus) Team Garmin-Cervelo 0:00:10
5 Matthew Goss (Aus) HTC-Highroad 0:00:24
6 Jose Joaquin Rojas (Spa) Movistar Team
7 Ben Swift (GBr) Sky Procycling
8 Jurgen Roelandts (Bel) Omega Pharma-Lotto
9 Nikolay Trusov (Rus) Katusha Team
10 Romain Feillu (Fra) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team

Classificação Geral

1 Cameron Meyer (Aus) Team Garmin-Cervelo 12:54:30
2 Laurens ten Dam (Ned) Rabobank Cycling Team 0:00:10
3 Matthew Goss (Aus) HTC-Highroad 0:00:12
4 Robbie McEwen (Aus) Team Radio Shack 0:00:15
5 André Greipel (Ger) Omega Pharma-Lotto 0:00:16
6 Michael Matthews (Aus) Rabobank Cycling Team 0:00:18
7 Ben Swift (GBr) Sky Procycling
8 Blel Kadri (Fra) AG2R La Mondiale 0:00:26
9 Francisco Ventoso (Spa) Movistar Team 0:00:27
10 Allan Davis (Aus) Astana 0:00:28

Fonte: Prologo

San Luis: Tondo vence e é o novo lide

O espanhol Xavier Tondo (Movistar) foi o vencedor da 4ª etapa do Tour de San Luis, um contrarrelógio de 19,5 km. O argentino Jorge Giacinti (Argentina) ficou com a segunda colocação, seguido pelo norte-americano Scott Zwizanski (UnitedHealthCare).

Tondo completou o percurso com o tempo de 23min23s, superando em 8 segundos Giacinti. O desempenho do espanhol também lhe garantiu a liderança da competição, com uma vantagem de 30 segundos sobre Jose Serpa (Androni).
Matias Médici (Pindamonhangaba) encerrou a crono com a oitava posição e agora ocupa a 12ª colocação no geral. Douglas Moi, recém-chegado a equipe pindense, é o melhor brasileiro, aparecendo na 36ª colocação geral.

Classificação Etapa

1 Xavier Tondo (Spa) Movistar 0:23:23
2 Jorge Giacinti (Arg) Argentina 0:00:08
3 Scott Zwizanski (USA) Unitedhealthcare 0:00:15
4 Juan E. Arango (Col) Colombia 0:00:23
5 Marco Arriagada (Chi) Chile 0:00:25
6 Luis Mansilla (Chi) Chile 0:00:32
7 Walter Perez (Arg) Argentina 0:00:33
8 Matias Medici (Arg) Funvic-Pindamonhangaba 0:00:40
9 Jose Serpa (Col) Androni-Giocattoli
10 Ivan Basso (Ita) Liquigas-Cannondale 0:00:45

Classificação Geral

1 Xavier Tondo (Spa) Movistar 12:35:40
2 Jose Serpa (Col) Androni-Giocattoli 0:00:30
3 Jorge Giacinti (Arg) Argentina 0:00:34
4 Marco Arriagada (Chi) Chile 0:00:59
5 Eros Capecchi (Ita) Liquigas-Cannondale 0:01:04
6 Josue Moyano (Arg) Argentina 0:01:10
7 Gerardo Fernandez (Arg) Argentina 0:01:44
8 Juan E. Arango (Col) Colombia 0:01:52
9 Jesus Rosendo (Spa) Andalucia-Caja Granada 0:02:28
10 David De Lay (Fra) AG2R La Mondiale 0:02:55

Fonte: Prologo

Tour Down Under 2011 - Stage 3 - Final kilometers

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Jovem Michael Matthews "atropela" favoritos e vence 3ª etapa no Tour Down Under

Nesta quinta-feira, Michael Matthews (Rabobank) venceu a 3ª etapa do Tour Down Under. O australiano completou o percurso de 129 km entre Unley e Stirling em 3h11min47s. Andre Greipel (Omega Pharma) ficou em segundo, seguido por Matthew Goss (HTC-Columbia), que retomou a liderança da prova.

Matthews, de 20 anos, proclamou-se campeão do mundo sub 23, e tem contrato de dois anos com a equipe holandesa. No início deste ano, conquistou uma das etapas da Jayco Bay Cycling Classic. Em 2010, competindo pela equipe Team Jayco-Skins, obteve importantes triunfos em etapas da Volta de Wellington, Volta de Langkawi, Volta do Japão e no Ringerike GP.

Um quarteto protagonizou a fuga do dia. Aleksandr Kuschynski (Katusha), Luis Pasamontes (Movistar), Luke Durbridge (UNISA) e Thomas De Gendt (Vacansoleil) escaparam com apenas três quilômetros e construíram uma vantagem de 5 minutos.

Logo o pelotão começou a sua perseguição impiedosa e neutralizou os escapados a 20 km da meta.

Ben Hermans (Radio Shack) e Richie Porte (Saxo Bank) atacaram nos últimos quilômetros, mas acabaram neutralizados. No sprint final, Matthews venceu com facillidade o alemão Greipel e seu compatriota Goss.

Classificação da 3ª etapa

1 Michael Matthews (Aus) Rabobank Cycling Team 3:11:47
2 André Greipel (Ger) Omega Pharma-Lotto
3 Matthew Goss (Aus) HTC-Highroad
4 Simon Gerrans (Aus) Sky Procycling
5 Luke Roberts (Aus) UNI SA - Australia
6 Francisco Ventoso (Spa) Movistar Team
7 Gorka Izagirre (Spa) Euskaltel-Euskadi
8 Allan Davis (Aus) Astana
9 Blel Kadri (Fra) AG2R La Mondiale
10 Simone Ponzi (Ita) Liquigas-Cannondale

Classificação geral após 3ª etapa

1 Matthew Goss (Aus) HTC-Highroad 9:56:25
2 André Greipel (Ger) Omega Pharma-Lotto 0:00:02
3 Robbie McEwen (Aus) Team Radio Shack 0:00:04
4 Michael Matthews (Aus) Rabobank Cycling Team
5 Ben Swift (GBr) Sky Procycling
6 Allan Davis (Aus) Astana 0:00:14
7 Francisco Ventoso (Spa) Movistar Team
8 Manuele Mori (Ita) Lampre - ISD
9 Alessandro Ballan (Ita) BMC Racing Team
10 Greg Henderson (NZl) Sky Procycling







Fonte: Prologo

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Jose Serpa vence e assume liderança na Argentina

Jose Serpa (Androni) se impôs e venceu a 2ª etapa do Tour de San Luis, após percorrer 156,6 quilômetros entre Juana Koslay e Mirador del Potrero, na primeira chegada em montanha na competição.

Serpa completou o percurso em3h52min58s e assumiu a liderança na classificação geral. O ciclista colombiano superou o italiano Eros Capecchi (Liquigas/Cannondale) e Marco Arriagada (Chile), segundo e terceiro respectivamente.

Um grupo de 19 ciclistas formou a fuga do dia, que teve ciclistas como Soliz (Bolivia), Mansilla (Chile) e Mandri (Endura). O chileno Arriagada (ex-Pindamonhangaba), entretanto, foi o grande destaque e resistiu até os últimos metros, quando acabou neutralizado por Serpa e Capecchi.

Classificação da Etapa

1. José Serpa (Androni-Giocattoli) 3:52:58
2. Eros Capecchi (Liquigas-Doimo) m.t.
3. Marco Arriagada (Chile) m.t.
4. Xavier Tondo (Movistar Team) m.t.
5. Josué Moyano (Argentina) a 14
6. Fortunato Baliani (D'Angelo&Antenucci) a 22
7. Jorge Giacinti (Argentina) a 26
8. Jesús Rosendo (Andalucía-Caja Granada) m.t.
9. Mauricio Soler (Movistar Team) m.t.
10. Camilo Gómez (Colombia) a 31

Classificação geral após 2ª etapa

1. José Serpa (Androni-Giocattoli) 8:52:18
2. Eros Capecchi (Liquigas-Cannondale) a 4
3. Xavier Tondo (Movistar Team) a 10
4. Josué Moyano (Argentina) a 24
5. Jorge Giacinti (Argentina) a 36
6. Marco Arriagada (Chile) a 44
7. Gerardo Fernández (Argentina) a 1:03
8. Jesús Rosendo (Andalucía-Caja Granada) a 1:10
9. Fortunato Baliani (D'Angelo&Antenucci) m.t.
10. Miguel A. Rubiano (D'Angelo&Antenucci) a 1:33 


Fonte: Prologo

Tour Down Under 2011 - Stage 2 - Summary (w/ crashes)

Tour Down Under: Quedas e vitória de Swift

Ben Swift (Sky) foi o mais rápido no sprint final e venceu a 2ª etapa do Tour Down Under - um percurso de 146 km entre Tailem Bend-Mannum. Robbie McEwen (RadioShack) terminou na segunda colocação e assumiu a liderança da competição. Graeme Brown (Rabobank) ficou em terceiro.

A etapa foi marcada pelos acidentes. Duas quedas quebraram o pelotão. Na primeira, a 3 quilômetros da meta, Mark Cavendish (HTC-Columbia), Matt Goss (HTC-Columbia), Tyler Farrar (Garmin-Cervèlo) e Andre Greipel (Omega Pharma) acabaram envolvidos, abrindo uma lacuna para os demais concorrentes. A segunda aconteceu a poucos metros do sprint.

Aos 23 anos, Swift conquistou uma das principais vitórias em sua carreira, juntamente com as duas etapas na Volta de Picardie, no último ano, e uma no Tour da Bretaña, em 2009.

Yuriy Krivstov (AG2R), David Tanner (Saxo Bank), Mitchell Docker (UniSA), em um primeiro momento, e Timothy Roe e Simon Zahner (BMC) e Luke Roberts (Unisa) protagonizaram a fuga do dia; neutralizada a 3 quilômetros da meta.

Classificação da 2ª etapa

1 Ben Swift (GBr) Sky Procycling 3:27:44
2 Robbie McEwen (Aus) Team Radio Shack
3 Graeme Brown (Aus) Rabobank Cycling Team
4 Romain Feillu (Fra) Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team
5 Jurgen Roelandts (Bel) Omega Pharma-Lotto
6 Francesco Chicchi (Ita) Quick Step Cycling Team
7 Michael Matthews (Aus) Rabobank Cycling Team
8 Denis Galimzyanov (Rus) Katusha Team
9 Francisco Ventoso (Spa) Movistar Team
10 Allan Davis (Aus) Astana

Classificação geral após 2ª etapa

1 Robbie McEwen (Aus) Team Radio Shack 6:44:42
2 Matthew Goss (Aus) HTC-Highroad
3 Ben Swift (GBr) Sky Procycling
4 André Greipel (Ger) Omega Pharma-Lotto 0:00:04
5 Mitchell Docker (Aus) UNI SA - Australia
6 Graeme Brown (Aus) Rabobank Cycling Team 0:00:06
7 David Tanner (Aus) Saxo Bank Sungard
8 Mathieu Perget (Fra) AG2R La Mondiale 0:00:07
9 Miguel Minguez (Spa) Euskaltel-Euskadi
10 Simon Zahner (Swi) BMC Racing Team 


Fonte: Prologo

Revista americana reacende suspeitas de doping de Lance Armstrong

As suspeitas de doping sobre o ciclista americano Lance Armstrong, sete vezes campeão da Volta da França, voltaram a repercutir após a reportagem da revista Sports Illustrated, com testemunhos de ex-companheiros de equipe.
O atleta se irritou tanto com as insistentes perguntas sobre o caso que, na saída da etapa do Tour Down Under, chamou um jornalista de "estúpido". A revista divulgou em seu site algumas entrevistas, como a denúncia que, no final dos anos 90, "Armstrong teve acesso a um remédio experimental que aumentava o transporte de oxigênio no sangue".
A publicação também afirma que o exame de Armstrong deu um resultado irregular por alto índice de testosterona em 1999 e que só foi identificado pelo código cifrado usado para os controles de doping. Enquanto estas notícias vazam, Armstrong se defende como pode. Mark Fabiani, porta-voz de Armstrong, disse que estas acusações são "novas notícias de velhos conhecidos, de fontes sem crédito algum".
Lance Armstrong disputa sua última corrida profissional fora dos Estados Unidos no Tour Down Under.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ferrari faz jus ao nome e vence etapa em San Luis

Principal competição de ciclismo na América do Sul, a 5ª edição do Tour de San Luis começou nesta segunda-feira. O italiano Roberto Ferrari (Androni) ficou com a vitória na primeira etapa, após completar o percurso de 166 quilômetros com encerramento em Justo Daract.

Ferrari cruzou a meta com 4h59min30s, ficando à frente do argentino Maximiliano Richeze (D´Angelo & Antenucci) e Jacobo Guarneri (Liquigás), segundo e terceiro respectivamente. O melhor brasileiro foi Rodrigo Araújo, da DataRo, que encerrou na 31ª posição, com 38 segundos de atraso, junto com o italiano Ivan Basso (Liquigás).

A fuga do dia foi marcada por dois ciclistas: Jesús Rosendo (Andalucía-Caja Granada) e Juan Lucero (Seleção da Argentina), escapados praticamente desde o começo da prova. O pelotão intensificou o ritmo com cerca de 50 km para a meta e acabou alcançando os atletas a 15 km do final, com a chegada sendo decidida no sprint.

Classificação da 1ª etapa

1 Roberto Ferrari (Ita) Androni-Giocattoli 4:59:30
2 Maximiliano Richeze (Arg) D'Angelo & Antenucci
3 Jacobo Guarneri (Ita) Liquigas-Cannondale
4 Jorge Soto (Uru) Uruguay
5 Giorgio Brambilla (Ita) De Rosa-Flaminia
6 Mauro Richeze (Arg) Argentina
7 Jose Serpa (Col) Androni-Giocattoli
8 Josue Moyano (Arg) Argentina
9 David De Lay (Fra) AG2R La Mondiale
10 Eros Capecchi (Ita) Liquigas-Cannondale

Classificação Geral após 1ª etapa

1 Roberto Ferrari (Ita) Androni-Giocattoli 4:59:30
2 Maximiliano Richeze (Arg) D'Angelo & Antenucci
3 Jacobo Guarneri (Ita) Liquigas-Cannondale
4 Jorge Soto (Uru) Uruguay
5 Giorgio Brambilla (Ita) De Rosa-Flaminia
6 Mauro Richeze (Arg) Argentina
7 Jose Serpa (Col) Androni-Giocattoli
8 Josue Moyano (Arg) Argentina
9 David De Lay (Fra) AG2R La Mondiale
10 Eros Capecchi (Ita) Liquigas-Cannondale

Fonte: Prologo

Basso: "O nível em San Luis está muito alto"

Antes do início do Tour de San Luis, a figura principal desta 5ª edição da competição, o italiano Ivan Basso, deixou claro seu contentamento em retornar a Argentina e elogiou os organizadores da prova.


“Estou muito feliz de estar na Argentina, principalmente por observar a paixão da população pelo esporte. Conversei com pessoas que se deslocaram mais de mil quilômetros para ver a prova. Quero me esforçar e fazer o melhor para retribuir esse carinho”, disse Basso.

Questionado sobre suas chances de triunfar e vencer a competição, assim como seu companheiro Vincenzo Nibali, em 2010, o bicampeão do Giro d´Italia foi cauteloso.

“Cada ano que passa a prova evolui e fica mais dura. Existem muitos ciclistas de qualidade e o melhor condicionado vencerá. Não estou na minha melhor forma, já que venho de um inverno que tomou alguns dias de treino. Mas estou motivado pelo meu desempenho na ultima temporada.”

“Meu objetivo aqui é fazer o melhor trabalho possível e ajudar minha equipe, que no momento tem dois ou três ciclistas em forma. Viemos para vencer o Tour de San Luis e temos Capecchi muito bem, além do velocista Guarnieri, que pode vencer a primeira etapa”, completou.
Por fim, Ivan Basso exaltou o bom condicionamento físico dos ciclistas sul-americanos. Ele acredita que em termos de preparação, o momento é favorável para os latinos.
“O nível dos atletas está muito alto. É visível que estão muito bem fisicamente, inclusive à frente de nós europeus neste momento.”

Fonte : Prologo

Adiada a primeira etapa da Copa de Ciclismo Amado

A primeira etapa da Copa de Ciclismo Amador marcada para o dia 30 de janeiro está cancelada. Devido as fortes chuvas no estado de São Paulo, o evento foi transferido para o dia 17 de abril de 2011.


O local onde será realizado o evento ainda não foi divulgado.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Santos Tour Down Under 2011

Com excelente inicio de temporada, classica da Australia marca o começo das provas ciclisticas ao redor do mundo.
Após 30 voltas no cicuito de Andelaide com 1,7Km perfazendo um total de 51Km muito agitados e marcado por algumas quedas, Matt Goss (HTC-HIGHROAD) levou a melhor e conquistou a vitória seguido por seu companheiro de equipe Mark Renshaw ambos embaladores de Cavendish e Robbie Mcewen (TEAM RADIOSHACK). Os corredores da HTC provam que qualquer um do time é capaz de vencer provas com chegadas em sprint, ja que o time é um celeiro de sprintistas
O podium foi composto por australianos que fizeram bonito e representaram muito bem o pais sede da competição.




Allez Balan!! ALLEZ PORRA!!!! Hahahahahaha!!!



video

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Tudo pronto para o Tour de San Luis

Entre o dia 17 e 23 de janeiro acontece mais uma edição do Tour de San Luis, na Argentina. Uma das equipes que já presentes na América do Sul é a italiana Liquigás, que tem como principal figura o bicampeão do Giro d´Italia Ivan Basso.
Serão sete etapas e 21 equipes na competição. Três delas de categoria Pro Tour: Liquigás (Itália), Movistar (Espanha) e AG2R (França). O Brasil será representado pelas equipes Funvic/ Marcondes Cesar/ Pindamonhangaba (SP) e Clube DataRo de Ciclismo (PR).



Confira as equipes:

PRO TOUR:

1) Liquigas-Cannondale (Itália)
Iván Basso, Eros Capecchi, Japoco Guarneri, Domenik Nerz, Cristiano Salerno e Alessandro Vanotti.

2) Movistar Team (Espanha)
Andrey Amador, Francisco Iriarte, Pablo Lastras, Francisco Pérez, Mauricio Soler e Xavier Tondo.

3) AG2R (França)
Cyril Dessel, Julien Berard, Guillaume Bonnafond, Ben Gastauer, David Le Lay e Matteo Montaguti.

PRO CONTINENTAIS:

4) Androni Giocattoli (Itália)
José Serpa, Carlos Ochoa, Jackson Rodríguez, Roberto Ferrari, Giairo Ermeti, Angel Vicioso

5) De Rosa-Cerámica Flaminia (Irlanda,na UCI)
Patxi Vila Errandonea, Giorgio Brambilla, Michele Merlo, Damiano Margutti, Paolo Bailetti e Stefano Borchi.

6) United Healthcare (EUA)
Christian Meier, Andrew Pinfold, Rory Sutherland, Scott Zwizanski, Davide Frattini e Charles Wegelius.

7) Andalucía Caja Granada (Espanha)
David Bernabeu, Adrián Palomares, Alberto Benitez, Antonio Piedra, Antonio Cabello e Jesús Rosendo.

CONTINENTAIS:

8) Nutrixxion (Alemanha)
Sabastian Forke, Sergej Fuchs, Grischa Hartmut Janorschke, Dirk Müller, Steffen Radochla e Bjorn Schroder.

9) Endura Racing (Reino Unido)
René Mandri, Iker Camaño, Robert Patrick, David Clarke, Marten De Jong e Alex Weterhall.

10) Funvic-Pindamonhangaba (Brasil)
Matías Médici, Marcos Crespo, Héctor Aguilar, Adelio Silva, Magno Prado, Douglas Moi, Tiago Fiorilli e Tiego Gasparoto.

11) Onda-Boavista (Portugal)
Celio Alves Sousa, Alberto Morras Fernández, Jon Pardo Abarzuza, Alexander Marque Porto, Bruno Moreira Lima e Helder Alves Oliveira.

12) D'Angelo & Antonucci-Nippo (Itália)
Fortunato Baliani, Simone Campagnaro, Bernardo Riccio, Giuseppe Muraglia, Maximiliano Richeze e Miguel Angel Rubiano.

13)DataRo
Renato Martis, Gregolry Alves de Freitas Panizo,Cristian Egiio da Rosa, Murilo Ferraz Affonso, Rodrigo Araujo di Melo e Renato Aparecido dos Santos.

SELEÇÕES:

14) Argentina
Walter Pérez, Jorge Giacinti, Martín Garrido, Alfredo Lucero, Josué Moyano, Mauro Richeze, Gerardo Fernández, Leandro Messineo, Cristian Martínez e Juan Lucero.

15) Bolívia
Oscar Soliz Villca, Juan Cotumba Coa, Piter Campero, Víctor Hugo Tarqui, Yamil Montaño e Horacio Gallardo Burgos.

16) Chile
Marco Arriagada Quinchel, Luis Mansilla Almonacid, Patricio Almonacid González, Gonzalo Garrido Zenteno, Ricardo Hazbun Velásquez, Vicente Muga, Pablo Ramírez, Wolfgang Burman Litin, Jorge Contreras Vargas e Gonzalo Miranda.

17) Colômbia
Weimar Ortíz, Juan Arango, Edwin Avila, Arlex Castro, Félix Baron, Félix Cárdenas Ravelo, Hernán Buenahora, Camilo Gómez, Juan Pablo Valencia e Jonathan Millan Ayala.

18) Cuba
Arnold Alcolea, Raúl Granjel Cabreja, Yasmani Martínez Regalado, Yennier López Fonseca, Pedro Torres Portuondo e Lisuandi Alonso Ruano.

19) Equador
Byron Guama, Segundo Navarrete, Jorge Gallegos, José Ragonessi, José Ruiz e Ramiro Calpa.

20) Paraguai
Fernando Rolón Aquino, Gustavo Miño Báez, José Arroyo Franco, Samuel Coronel González, Juan Villamayor Romero e Oscar Matiauda Acosta

21) Uruguai
Richard Mascarañas, Hernán Cline, Néstor Pías, Jorge Soto, Emmanuel Yanes, Mariano De Fino, Pablo Pintos, Nemesio García e Gregory Duarte.

Fonte: Prologo

Organizadores da Vuelta a España repetem fórmula de sucesso do último ano e anunciam percurso de 2011

Nesta quarta-feira, os organizadores da Vuelta a España anunciaram o percurso da 66ª edição da competição, que acontece entre os dias 20 de agosto e 11 de setembro, e terá características parecidas com a da última edição, vencida pelo italiano Vincenzo Nibali.

Serão muitas etapas de montanha e apenas um contrarrelógio individual e uma crono por equipes. Na edição deste ano, não haverá etapas na Bola do Mundo e em Cotobello – marcas registradas da prova-, entretanto, as novas montanhas de Manzaneda e Farragona prometem dificultar a vida dos atletas.

No total, seis etapas acabam em subida: Sierra Nevada, Covatilla, Manzaneda, Farragona, Angliru e Peña Cabarga. Além dos encerramentos em Valdepeñas de Jaén e El Escorial , com subidas menos íngremes.As médias montanhas também podem reservar surpresas, principalmente nas regiões de Córdoba, Ponferrada, Noja e Bilbao.

Entre as novidades, a passagem da Vuelta a España pelo país basco, além da presença do mítico Angliru.

O contrarrelógio por equipes abre a competição no dia 20 de agosto, com um percurso de 16 km em Benidorm. No dia 11 de setembro, o grande campeão vestirá a camisa vermelha “roja” após percorrer 94 km no circuito de Jarama-Race – Madri.

Confira as etapas da Vuelta 2011

Etapa 1: Benidorm - Benidorm 16 kms. Crono por equipos
Etapa 2: La Nucía - Playas Orihuela, 171,5 kms.
Etapa 3: Petrer - Totana, 164 kms.
Etapa 4: Baza - Sierra Nevada, 172 kms.
Etapa 5: Sierra Nevada - Valdepeñas de Jaén, 200 kms.
Etapa 6: Úbeda - Córdoba, 185,7 kms.
Etapa 7: Almadén - Talavera de la Reina, 185 kms.
Etapa 8: Talavera de la Reina - San Lorenzo de El Escorial, 182 kms.
Etapa 9: Villacastín - Sierra de Béjar (La Covatilla), 179,5 kms.
Etapa 10: Salamanca - Salamanca cri, 40 kms. Crono individual
Descanso 30 agosto
Etapa 11: Verín - Estación de Montaña Manzaneda, 171 kms.
Etapa 12: Ponteareas - Pontevedra, 160 kms.
Etapa 13: Sarria - Ponferrada, 150 kms.
Etapa 14: Astorga - La Farrapona (Lagos de Somiedo), 173,2 kms.
Etapa 15: Avilés - Alto de L'Anglirú, 144 kms.
Descanso 5 septiembre
Etapa 16: Villa Romana La Olmeda (Palencia) - Haro, 180 kms.
Etapa 17: Faustino V (Oyón) - Peña Cabarga, 212,5 kms.
Etapa 18: Solares - Noja, 169,7 kms.
Etapa 19: Noja - Bilbao, 157,9 kms.
Etapa 20: Bilbao - Vitoria, 187 kms.
Etapa 21: Circuito de Jarama-Race - Madrid, 94 kms.

Fonte: Prologo

Greipel x Cavendish: o duelo dos sprinters

O início da temporada de ciclismo promete ser empolgante principalmente pela batalha entre os sprinters na próxima edição do Tour Down Under. Um dos confrontos mais esperados é o duelo entre o alemão Andre Greipel (Omega Pharma) e o britânico Mark Cavendish (Columbia-HTC).

Antes companheiros na equipe norte-americana, os velocistas não escondem de ninguém que o clima entre eles não é nada amigável, principalmente após a troca de farpas na última temporada.
Após um brilhante início no ano de 2010, Greipel conquistou elogios de toda a mídia. O alemão mostrou-se soberano e conquistou o bicampeonato do Tour Down Under, além de vencer estágios na Volta de Algarve e no Challenge de Mallorca.

Já Cavendish tinha desempenho oposto, além de sofrer com problemas dentários e uma série de acidentes – ainda assim, o britânico foi o escolhido para a Milão-São Remo, o que gerou uma profunda revolta de Andre Greipel. Era o começo da batalha interna na Columbia.

Na sequência, inúmeras acusações e críticas (que partiam de ambos os lados) se sucederam. Entretanto, Mark Cavendish teria força o suficiente e responderia com cinco vitórias em etapas do Tour de France, tornando-se o sprinter mais vitorioso na história da competição, além de vencer a classificação por pontos da Vuelta a España.

Greipel encerrou a temporada com 21 vitórias, incluindo uma etapa no Giro d´Italia, e Cavendish finalizou com “apenas” 12 triunfos, entretanto, nove deles em grandes voltas. As provocações em Adelaide já começaram e fica a expectativa para saber quem levará a melhor.
Fonte: Prologo

Na estreia por São José, Jean Coloca sobe ao pódio na Copa América

Em sua estreia oficial pela equipe de ciclismo de São José dos Campos (Cannondale/São José dos Campos), o ciclista Jean Coloca conquistou um excelente resultado. No último domingo, o atleta ficou na terceira colocação na XI Copa América de Ciclismo, realizada no autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.


Ele completou a prova em 2h02min43s. O vencedor foi Breno Sidoti, da equipe de Pindamonhangaba (Funvic/Marcondes César/ Pindamonhangaba), que cruzou a linha de chegada em 2h02min13s, seguido do companheiro Roberto Pinheiro (2h02min42s).

“Tenho que agradecer muito meus companheiros. Toda a equipe confiou em mim, principalmente o Daniel Rogelin que estava na fuga. A equipe teve papel fundamental no meu resultado”, disse o ciclista, lembrando também da torcida que esteve presente na prova usando a camisa comemorativa do atleta referente ao título do ranking nacional.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Breno Sidoti surpreende os favoritos e vence a Copa América de Ciclismo

Em prova marcada pelo forte equilíbrio no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, o brasileiro Breno Sidoti, da equipe de Pindamonhangaba (SP), superou 80 quilômetros de pista para vencer, com uma arrancada nas últimas voltas, a XI Copa América de Ciclismo. Roberto da Silva, de Pindamonhangaba, e Jean Coloca, da equipe de São José dos Campos (SP), completaram o pódio.



Com a inversão do sentido da prova, que virou horário, deu uma nova dinâmica à prova e aumentou o desafio para os ciclistas na pista. Com a mudança, o trecho de subida ficou maior, começando na Curva do Lago e terminando no “S”do Senna.


Os competidores impuseram um ritmo forte desde a largada, e se alternaram na liderança no início da prova. William Chiarello, da equipe de Rio Claro (SP), liderou as primeiras voltas da prova, mas logo foi ultrapassado por Jeferson Caldeira. Quem também começou bem foi José Eriberto Filho, da equipe de Assis (SP), que ficou na frente boa parte da metada da prova.

Breno Sidoti dispara e vence

Jean Coloca, da equipe de São José dos Campos (SP), e Nilceu Aparecido dos Santos, da equipe de Pindamonhangaba (SP), se destacaram do pelotão e junto com o Daniel Rogelin e o argentino Francisco Chamorro, travaram uma bela disputa. A quatro voltas do fim, o passista (especialista em “puxar” a equipe) Breno Sidoti, da equipe de Pindamonhangaba, disparou em fuga e abriu 35 segundos de vantagem para o pelotão, liderando a prova com folga.

Na volta final, Breno mostrou cansaço e o pelotão chegou a se aproximar do líder da prova para tentar um ataque, mas o atleta de Pindamonhangaba cruzou a linha de chegada na frente e sacramentou a vitória na XI Copa América de Ciclismo.

- Foi uma estratégia que ficou decidida durante a corrida. Eu estava trabalhando para o Roberto (Da Silva, companheiro de equipe), mas como andei sempre na frente, acelerei e aproveitei o momento. Dedico essa vitória à minha família que está em casa. A perna está dolorida, mas esse é o esforço do gosto da vitória – disse o campeão, após a prova.

Janildes é tri no feminino

As meninas também acabaram sentindo a mudança do sentido da Copa América deste ano. Tanto assim, que a briga pelo primeiro lugar foi bastante acirrada e definida apenas no sprint. E coube à Janildes Fernandes, atual campeã brasileira de estrada, o lugar mais alto do pódio, superando Valquíria Pardial a poucos metros da linha de chegada. Foi a terceira conquista da atleta na competição e a segunda em pouco menos de um mês, já que ela também foi a campeã da Copa da República, disputa realizada no dia 19 de dezembro, em Brasília (DF).
- Foi uma prova muito dura, pois com a mudança no circuito a chegada ficou logo depois da subida. Mas valeu pelo resultado, que mostra que estou em um bom momento e pronta para brigar por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012 – declarou a tricampeã.

Resultados:

Masculino (20 voltas)

1º) Breno Sidoti (BRA), 2h02m13s412
2º) Roberto Pinheiro da Silva (BRA), 2h02m42s903
3º) Jean Coloca (BRA), 2h02m43s030
4º) José Eriberto Filho (BRA), 2h02m43s913
5º) Lauro Cesar Chaman (BRA), 2h02m44s259

Feminino (6 voltas)

1ª) Janildes Fernandes (BRA), 46m38s705
2ª) Valquíria Pardial (BRA), 46m38s817
3ª) Luciene Ferreira da Silva (BRA), 46m39s900
4ª) Natalia Lima (BRA), 46m40s047
5ª) Uênia Fernanda (BRA), 46m41s529

Fonte: Esporte Espetacular

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Desafio Allez Race Team

Allezeiros e amigos,
 
Nosso amigo Carlinhos numa brincadeira lançou um desafio para o ano de 2011. 
 
O desafio consiste em definirmos um número exato de competições ao londo do ano e usarmos os tempos oficiais destas provas em um ranking entre nós.
 
Vejam abaixo:
 
Regulamento de pontuações e classificação geral

Classificações:

- Classificação individual por tempo
- Calssificação individual por pontos
- Classificação individual do melhor escalador

a) Classificação geral individual por tempo

A Classificação geral individual por tempo se estabelece pela soma dos tempos realizados por cada competidor nas etapas, tendo em conta as penalidades de tempo.
Em caso de igualdade de tempo na classificação geral, serão adotadas como criterios de desempate as seguintes situações:  número de participações em etapas para desempatar os competidores e decidir a quem é atribuida a camisa amarela. Em caso de uma nova igualdade, é resgatada a soma da classificação obtida em cada etapa, e em ultimo caso, ao lugar obtido na última etapa.

b) Classificação geral individual por pontos

A classificação geral individual por pontos é obtida pela soma dos pontos registrados nas classificações individuais de cada etapa, segundo as listas a seguir e tendo em conta as penalidades por pontos

- Para as etapas em linha ditas “planas’: 30,25,20,15,10,5,4,3,2,1 pontos para os 10 primeiros competidores classificados;

Em caso de igualdade de pontos na classificação geral, os competidores serão desempatados pelo número de vitórias de etapa, depois pelo número de participações em etapas e enfim pela classificação geral individual por tempo. Para aparecer na classificação geral individual por pontos, os vencedores devem obrigatoriamente terminar a etapa.

c) Classificação geral do melhor escalador

A classificação geral do melhor escalador é estabelecida pela soma dos tempos de montanha (VO2)obtidos sobre o conjunto de topos, ou picos Segundo as listas a seguir:
No caso de igualdade de tempo entre dois corredores na classificação geral final de melhor escalador, o competidor que mais escalou os picos em 1o lugar será o vencedor. Para aparecer na classificação geral de melhor escalador os vencedores devem terminar todas as etapas.

Demais:

Ao competidor que não terminar a etapa, será atribuído a ele o tempo do último colocado (participante do Desafio Allez Race Team) acrescido de 10 minutos. 
O tempo válido será o da cronometragem oficial (chip) divulgado pelos organizadores das provas que farão parte do desafio.


Vencedores:
Camisa Amarela: Soma total dos tempos em todas as etapas.
Camisa Verde: Soma dos pontos nas etapas planas (à definir)
Camisa de Bolinhas: Soma dos tempos das etapas de montanha (VO2)
Camisa Rosa: Soma total dos tempos da categoria feminino.


A princípio as etapas que fazem parte do Desafio Allez Race Team são:


Quatro etapas da Copa VO2
Duas etapas da Granfondo Brasil

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Granfondo Brasil de Inverno

Galera,
A tão anunciada e esperada Granfondo no primeiro semestre foi anunciada pela Federação Paulista de Ciclismo em seu Calendário. A prova está marcada para o dia 19/06/2011.

A do segundo semestre continua na primeira semana de novembro, mais precisamente no dia 06/11/2011.

Jean Coloca é confirmado campeão do ranking da CBC em 2010


O ciclista Jean Coloca foi confirmado campeão do ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) em 2010. A confirmação aconteceu na última quarta-feira, quando a entidade atualizou o ranking pela última vez.

Coloca fechou a temporada com 754 pontos, contra 710 de Renato Seabra, do Clube DataRo de Ciclismo, que foi vice-campeão.
“Estou muito contente e feliz com esse título. Essa conquista é fruto de um trabalho que começou no início de 2009 e foi traçado por mim e pelo meu treinador Celso Anderson. O trabalho foi muito bem elaborado e consegui faturar o título”, declarou Jean Coloca.
“Tenho que agradecer muito à equipe de ciclismo de Sorocaba (Padaria Real/Céu Azul Alimentos/Sorocaba/Cannondale) e aos meus patrocinadores, C. Monviso Construtora e Rock Star. A Rock Star foi importantíssima durante toda a temporada, me ajudando nas competições e também me proporcionando o intercâmbio para o Chile e para a França”, acrescentou o ciclista, lembrando os nomes dos proprietários Adir Assad e Sônia Branco.

Nova Equipe

O ciclista Jean Coloca confirmou também que deixou a equipe de ciclismo de Sorocaba (Padaria Real/Céu Azul Alimentos/Sorocaba/Cannondale). Ele acertou a transferência para a cidade de São José dos Campos.
O atleta estreia pela nova equipe no próximo domingo, quando disputará a XI Copa América de Ciclismo, que será realizada em Interlagos.
“Estou muito feliz em retornar ao time de São José dos Campos. Conheço todos os atletas e a direção da equipe. Estou bastante otimista para esse novo desafio e espero ajudar muito os meus companheiros”, completou.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Argentina, Chile, Peru e Paraguai participam da Copa América de ciclismo

Foram definidas as equipes estrangeiras que participarão da XI Copa América de ciclismo, uma das principais disputas do país e que abrirá o calendário da modalidade em 2011 no dia 9 de janeiro, em Interlagos, São Paulo. Serão cinco times do exterior, representando quatro países: Argentina, Chile, Peru e Paraguai.
As equipes estrangeiras irão se juntar a outras 14 das melhores nacionais, classificadas na IX Copa de República. As atrações deste ano são a categoria aberta, para atletas federados acima de 18 anos, de qualquer categoria, e a inversão do sentido da prova, passando a ser horário, dando uma nova perspectiva à disputa.
A programação oficial da XI Copa América da Ciclismo/Desafio Internacional de Ciclismo é a seguinte: 9h, Hand Cycle, duas voltas; 9h30, Federado Masculino (Elite/Sub 23/Geral), 20 voltas; 11h, Federado Feminino (Elite/Jr/Geral), de seis a sete voltas.
Os destaques internacionais desta edição são as equipes Italomat/Weber/Dogo Seguridad 3 de Febrero e Star Cycling Team, ambas da Argentina; Viños Tabernero, do Peru; e as seleções do Chile e do Paraguai. Deste grupo, as equipes do Star Cycling e do Viños Tabernero já são conhecidas, pois estiveram recentemente no país para a disputa da Volta do Estado de São Paulo/Tour do Brasil. Com atletas experientes, esses times têm tudo para fazer um bom papel no dia 9.

As equipes brasileiras confirmadas são as seguintes: Funvic/Marcondes César/Gelog /Taruma/Pindamonhangaba (SP); São Lucas/Giant Ciclo Ravena/Americana (SP); Clube Dataro/Foz do Iguaçu (PR); Suzano/Ecus/GTK/Ciclomania/Protek (SP); Padaria Real-Céu Azul Alimentos/ Sorocaba (SP); São José/Cannondale (SP); GRCE Memorial/Prefeitura de Santos/Giant (SP); Altolim/Assis (SP); Unicesp/Neocom/JC Gontijo (DF); CESC São Caetano/PZ Racing/Kuruma/DKS Bike (SP); FW Engenharia/Amazonas Bike; Clube Fernandes de Ciclismo (GO); Velo/SEME Rio Claro (SP); São Sebastião/Suum/Jbike/CST (SP).

Inscrições – A atração deste ano é a inclusão da categoria Geral / Elite, da qual poderão participar atletas de qualquer categoria a partir de 18 anos, desde que devidamente filiados em 2010 na federação de seu estado. São 250 vagas no masculino e as inscrições já estão abertas no site oficial, www.copaamericadeciclismo.com.br, até o dia 4 de janeiro de 2011 ou até que o número limite seja atingido.

A taxa de inscrição é de R$ 55,00, mas será concedido desconto passando a R$ 50,00. Para as categorias Federados, masculino e feminino, as inscrições serão gratuitas e também feitas pelo site. A entrega de kits será no dia 8, das 10h às 17h, em local a ser confirmado.

Novas regras da UCI para 2011

A União Ciclista Internacional (UCI) publicou uma nova regulamentação com muitas mudanças para o ciclismo nesta temporada, em destaque as modalidades Maratona (XCM) e Four Cross (4X); que já ficaram sendo válidas a partir de 01 de janeiro de 2011.

As maiores alterações incluem a introdução do novo formato de prova com a UCI Mountain Bike Marathon Series e o sistema de penalidades com base em cartão; semelhante ao utilizado no futebol. As novas regras também incluem uma espécie de selo que as equipes de XC e DH terão para classificá-las em destaque ao longo da Copa do Mundo de MTB. Uma atualização nos pontos pós provas também será crucial para manterem todos informados.

Cross Country Maratona – XCM

Profissionais e pilotos de elite serão os mais beneficiados pelo novo formato, com um sistema de entrada automática permitindo-lhes beneficiar nas provas de maratona, com menos impacto sobre sua participação nos eventos de cross country. Como será isso? A modalidade não estava sendo muito disputada pelos grandes atletas do cenário do XC, por ser apenas uma única etapa. Isso tirava o prestígio e até mesmo rompia contratos com seus patrocinadores.
Com essas novas regras, os pilotos que terminarem entre os top-20 em uma única etapa da Maratona, estará automaticamente qualificado para o mundial. E aqueles que terminarem no geral de todas as etapas entre os top-50, também serão inseridos. Desta forma, haverá uma competitividade ao longo da competição; uma vez que os atletas tops do XC escolherão as melhores datas para disputarem.

Four Cross – 4X

O Four Cross recebeu uma revisão geral, principalmente na questão da segurança. Um procedimento de sanções serão introduzidas para direcionar infrações durante as corridas. O sistema de cartão amarelo, azul e vermelho irá fornecer o alerta (amarelo), o rebaixamento (azul) ou, no caso de um piloto de colocar outro piloto em perigo, a desqualificação (vermelho).


A UCI colocará mais para-médicos em todo o percurso e cortou de vez os capacetes “coquinhos”. Agora, os capacetes “full-face” serão obrigatórios em todos os momentos, enquanto estiveram nas pistas (ambas as corridas e treinamento). Lógico que serão em competições oficiais da entidade maior.

FONTE: Pedal.com.br